Brasil feminino em FIFA 19
Só as genéricas. Imagem: Reprodução.

A última atualização de FIFA 19 pisou feio na bola no quesito igualdade. No último dia 29, o game lançou uma DLC que permitia baixar as outras 12 seleções que disputam a Copa do Mundo feminina em junho desse ano. Essa dúzia se juntou às outras 12 seleções que já estavam no game, como o Brasil. Contudo, o time canarinho (que foi eliminado pelas anfitriãs nessa semana), nunca esteve de fato na copa.

Isso porque o Brasil de Marta (6 vezes melhor do mundo e maior artilheira de todas as copas entre homens e mulheres) conta apenas com jogadoras fictícias. Isto é, jogadoras genéricas, feitas apenas para compor o time.
O problema se dá por conta de direito de imagem.

Assim, a 10 do Brasil, por exemplo, é uma moça branca, de nome Emanuelly. Itália e África do Sul também vão jogar com “kits genéricos” pois ambas as seleções também não foram licenciadas.

Confira as outras brasileiras que, assim como as da seleção chilena, também não existem:

As “Brasileiras’

POSIÇÃOJOGADORARATING
GOLJulininha Ruiz80
LDBianca Revelia78
ZAGBecky Redela80
ZAGJully Mutto83
LELetinha Lia80
VOLBecky Saudera81
VOLKla Elisinha73
MDIsinha Macapá81
MEEmanuelly Barni83
MEIKarole Pombal81
ATADebinha Miri84

Só dá para jogar a final

Em FIFA 19, não existe como simular um mundial com as 22 seleções, apenas a final. Além disso, tudo que se pode fazer é simular um torneio com 12 equipes. Essas, no caso, seriam as 12 que já vem no jogo.

Equipes da França (esq.) e EUA, devidamente representadas.

As atualizações certamente deixam a experiência aquém do que a maioria dos gamers esperam. Contudo, a EA promete que as próximas DLCs devem corrigir alguns erros, mesmo que seja após a copa das mulheres acabar.

Vale lembrar, todavia, que os homens também passam por problemas semelhantes em algumas representações. O problema com nomes não é exclusivo da franquia (vide Allejo). Ainda assim, por enquanto FIFA 19 com as meninas está longe de se atingir um “Padrão FIFA”.