Google Stadia
Imagem: Divulgação

Em um mundo que sempre se mostrou pouco receptivo ou dedicado ao público feminino, como é o segmento gamer, toda luta é válida no sentido de equilibrar esse trato entre as partes. Cientes disso, os desenvolvedores do Stadia procuraram se cercar de cuidados para que os conceitos em torno do primeiro videogame da empresa pudesse ser, de fato, o mais neutro possível.

De acordo com o designer industrial do Stadia, Jason Pi, essa é uma preocupação que se reflete principalmente no joystick do produto. Jason acredita que o design “neutro de gênero” pode atrair mais as mulheres quando comparado aos joysticks rivais.

“Ele é feito para mãos pequenas e grandes, por isso é super utilizável para um grande segmento de jogadores que nem sempre é apreciado”. diz o engenheiro. Em um vídeo oficial do Stadia, Jason comenta de maneira informal do cuidado em torno da ergonomia e empunhadura do mais icônico elemento do Stadia até aqui. Confira:

E as cores, influem nessa questão?

Atualmente, o Google está vendendo o controlador Stadia em três cores: branco, preto e ‘wasabi’. E embora as cores adotadas teoricamente busquem fugir das remotas associações de gênero, a cor wasabi despontou surpreendentemente durante a fase de testes.

De acordo com Isabelle Olsson, a cor que dá nome a uma famosa raiz-forte na culinária japonesa, demonstrou um “apelo universal” entre os testadores. “Homens e mulheres gravitaram em direção a essa cor“, disse Isabelle à CNN “Acabou sendo super neutro em termos de gênero, mas ainda muito expressivo. É realmente difícil encontrar cores assim.”