Pokémon Sword & Shield
Imagem: Nintendo

Para aqueles que acham que as cópias piratas de jogos são exclusividades do PC, estão meramente enganados. A Sony, Microsoft e a própria Nintendo, ainda sofrem com este prolema. E o alvo do momento, é o Switch, onde as cópias piratas de jogos da empresa acabam sendo compartilhadas dias antes de serem lançadas oficialmente, graças a um método de extração do jogo de uma mídia física já entregue, chamada dumping, realizada por crackers de forma ilegal.

O problema do boato

Tudo começou desde que a Nintendo anunciou o corte da E3 de Pokémon Sword & Shield. De lá para cá, começaram os rumores de usuários que conseguiram o game de forma legal, e principalmente ilegal, onde “supostamente estariam apontando diversas falhas de programação que afetariam diretamente a renderização gráfica desses jogos”.

A realidade

Acontece que como a maioria dos rumores, estas informações são falsas. Isto foi descoberto pelos próprios usuários que foram atrás e analisaram os problemas apresentados por “streamers“. O que eles viram foi que os streamers estão modificando os jogos em seus códigos para prejudicar o design gráfico afim de difamar o trabalho dos desenvolvedores e facilitar a crítica desses jogos com “bugs propositais”.

Como tudo que é lançado, as produtoras saem a “caça” na rede mundial para terem o retorno de seu produto e poder fazer as modificações necessárias ou não. Principalmente das análises que muitos assistem no YouTube. E ao fazer a busca, a Nintendo descobriu que muito dos defeitos que tem sido apontados por esses vulgos jogadores, está muito distante da versão que foi testada, e que alguns deles sequer existem.

Por este motivo, o recomendado é que sempre que deseje saber se o game que busca é bom ou não, leia ou assista em sites sérios sobre o assunto, que abordem uma análise que não se sustente no sensacionalismo.

Pokémon Sword & Shield são jogos exclusivos do Nintendo Switch e já podem ser adquiridos.