Pac man impostos games
Governo aposta suas fichas na redução de impostos para estimular setor.

Nem só de vazamentos sobre vídeos e datas vive a indústria de games. Prova disso é um documento precioso ao qual a Reuters teve acesso. A papelada em questão aponta que já estaria rascunhado um proposta de redução em impostos que afetam os consoles e jogos eletrônicos.

De acordo com o documento, o Ministério da Economia propõe baixar de 50% para 40% o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), cobrança essa que afeta diretamente videogames e jogos eletrônicos.

Outra parte da proposta propõe baixar ainda mais os valores em outras áreas dos games. De acordo com o documento, nas “partes e acessórios dos consoles sem tela incorporada”, o IPI cairia de 40% para 32%. O imposto de “game cards e máquinas de videogames com tela incorporada” por sua vez, baixaria de 20% para 16%.

Todavia, o documento ainda precisa ser apresentado de maneira oficial no senado. Uma vez que fosse aprovado, bastaria a assinatura do presidente Jair Bolsonaro para começar a valer.

A intenção do projeto é sobretudo estimular o setor em questão, ainda que a medida possa retirar cerca de R$ 23,80 milhões já em 2020, e R$ 23,94 milhões em 2021.

As medidas remetem a uma promessa que o presidente Bolsonaro fez publicamente, quando informou que iria consultar sua equipe para rever impostos para o setor de games.

Além do IPI, recaem sobre o setor de games os impostos do PIS, Cofins e ICMS. Estes, entretanto, não devem ser alterados. Assim, apostam-se fichas no valor de quase 50 milhões, no intuito de que isso gere muito mais créditos.